Os negócios evoluem, a medida que a gente se transforma!

30-03-2020

Diante do contexto atual, tem sido cada vez mais perturbador identificar o que e como fazer as mudanças necessárias para passar por esta crise.

Algumas empresas se mobilizando com seus recursos para contribuir e minimizar o risco de mortes nos próximos meses, se jogada de marketing para manter sua reputação no mercado ou não, eu sinceramente não sei, mas que isso dá uma acalentada no coração isso dá.

De outro empresários e empreendedores, não importa de que tamanho, buscando entender como manter seu negócio sustentável e evitar uma falência diante de um contexto econômico caótico.

Todos nós com medo de sermos afetados com o diagnóstico positivo deste novo vírus.

Terei eu a imunidade forte o suficiente para me curar?

Como será se algum ente querido for diagnosticado?

Serei eu vítima de uma sistema de saúde falho?

De um lado os desafios da crise na saúde, de outro os velhos dilemas da economia.

O futuro será fruto das escolhas que faremos diante de tudo isso, velhos problemas solucionados verdadeiramente a medida que a gente se transforma, pois é "gente" que faz tudo isso caminhar seja para onde for, se agora não temos clareza, precisamos mobilizar nossas habilidades e experiências para contribuir de forma relevante para a construção de um novo contexto.

Isso me faz lembrar de uma outra crise que temos, mas que agora não temos energia para falar, a crise na educação.

Como transformar o contexto se não tivermos o empenho e um sistema que nos ajude a reaprender?

Recentemente conclui a leitura do livro: Reinventando Organizações de Frederic Laloux, se este já estava me deixando inquieta antes deste caos pelo novo coronavírus, agora um pouco mais.

O autor fez uma pesquisa baseado em suas próprias inquietações, tão pertinentes para este momento:

"Pode ser que nossa visão de mundo atual limite a maneira como pensamos em organizações?"

"Podemos inventar uma maneira mais poderosa, mais emotiva, mais significativa de trabalhar em conjunto, se apenas mudarmos nosso sistema de crenças?"

Ele afirma que o progresso não veio de indivíduos agindo sozinhos, mas de pessoas que colaboraram em organizações.

Como podemos colaborar neste momento para que a transformação que precisamos aconteça e avancemos para negócios sustentáveis e gente mais feliz.

"O maior perigo em tempos de turbulência não é a turbulência em si - é agir com a lógica de ontem". Peter Drucker

O que sabemos não parece nos ajudar.

Eu acredito que também cabe um passo atrás para pensarmos:

Quais são as verdadeiras necessidades do ser humano?

Qual o mundo que queremos deixar para nossos filhos, netos, bisnetos etc, etc?

O sistema atual não parece nos preservar como ser humano e nos coloca em ameaça, o que desejamos genuinamente fazer para que a gente avance na consciência do que significa viver em sociedade?

Segundo Laloux, "muitas pessoas sentem que a atual maneira de administrar organizações encontra-se no seu limite. Estamos cada vez mais desiludidos com a vida organizacional".

Ele contextualiza historicamente os modelos de empresas e afirma que "nossas organizações contribuem, numa escala massiva, para esgotar recursos naturais, destruindo ecossistemas, modificando o clima, exaurindo reservas de água e os preciosos solos. Estamos jogando uma partida arriscada com o futuro, apostando que o aumento da tecnologia irá curar as cicatrizes que a modernidade infligiu no planeta."

Vamos escrever qual capítulo desta história de evolução do ser humano?